[Crítica] Homem de Ferro 3

Homem de Ferro & Tony Stark

O último filme que assisti do diretor Shane Black foi justamente sua primeira empreitada comandando as câmeras, o thriller de ação Beijos e Tiros. Era um começo para o já experiente roteirista (responsável pelos 2 primeiros Máquina Mortífera, entre outros), e um recomeço pra Robert Downey Jr, que estava afastado das telonas por muito tempo devido a seu problema com drogas. Então nada mais justo que o ator chame Black para dirigir talvez a última aventura do personagem que o tornou realmente famoso novamente.

Iron-Man-Pepper-Iron-Man3-FNL-poster-610x976Homem de Ferro 3 começa tempos depois de Vingadores, Tony Stark tenta conviver com as consequências psicológicas da grande batalha que houve em Nova Iorque, em especial o curto período que acreditou estar preso na dimensão dos alienígenas na sequência final do filme. Para sobreviver á suas crises, Stark deixa o comando da sua empresa para sua namorada Pepper Potts (Gwyneth Paltrow) e passa a dedicar todo o seu tempo livre criando novas versões do Homem de Ferro, agora com uma tecnologia que o permite controlar as armaduras a distância apenas com o pensamento. Só que as coisas não continuariam assim tranquilas por muito tempo, já que um novo vilão surge no cenário mundial, o enigmático Mandarin. Ele age como um terrorista padrão saído do oriente médio, usa a mídia para propagar suas ideias e ameaçar o império capitalista, o que não chega a incomodar o bilionário Tony Stark num primeiro momento…até o problema bater em sua porta !

Os trailers do filme pareciam entregar demais. Mandarin era mesmo um vilão á altura do poder do Homem de Ferro ? Quem é Aldrich Killian e qual o propósito da tecnologia Extremis ? Esse seria o fim de Tony Stark nos cinemas ?  E para que tantas armaduras ? Para sorte do expectador comum e dos fãs mais fervorosos, todas essas perguntas e outras pontas soltas dos filmes anteriores são respondidas quase magistralmente em Homem de Ferro 3, aventura digna de começar a fase dois da Marvel nos cinemas.

Mandarim

Eu não estava com muita expectativa quanto ao Homem de Ferro 3, já havia visto o personagem ano passado praticamente comandando o filme dos Vingadores e não achava que precisava rever o ferroso tão cedo. Mas que legal foi me surpreender com um filme levemente diferente dos anteriores dirigido por Jon Favreau (que aqui continua fazendo o cómico Happy Hogan), que soube transpor muito bem o Homem de Ferro dos quadrinhos para os cinemas, mas convenhamos, nunca fechou bem nenhuma das aventuras. Quanto a isso me refiro não a trama em si, mas especificamente no climax dos filmes, com batalhas até divertidas, mas quase momentos menores perante a outras cenas.

aldrich-killian-iron-man-3A versão de Shane Black para o Homem de Ferro é um pouco mais sombria, bem pouco. Vocês não verão um Tony Stark “Dark”, mas vários acontecimentos do filme o colocarão em situações desesperadoras e em algumas ele não poderá contar com toda sua fortuna e tecnologia, o que remete diretamente ao ínicio do primeiro filme da franquia em que ele constroi sua primeira versão do Homem de Ferro. E isso é um dos pontos mais positivos do filme, apesar da molecada só pular da cadeira quando o enlatado entra em ação, foi muito divertido ver Stark sendo inventivo ao máximo pra derrotar seus inimigos em meio a correrias e armas improvisadas, gerando muitas cenas cômicas e algumas interações memoráveis com o público adulto.

E fica dificil falar dos vilões do filme sem estragar muitas surpresas, mas se preparem para ver as batalhas mais épicas que já viram em filmes de super-heróis, rivalizando até com a famosa sequência de Nova York dos Vingadores. Aldrich Killian (Guy Pearce) é um personagem quase tão bom quanto Tony Stark, mas que subverte totalmente sua inteligência a causas nada nobres, usando a tecnologia extremis tanto pra criar super humanos quanto pra criar…homens-bomba. Fica aí a dica pra descobrirem a relação dele com o Madarin.

E uma das coisas mais comentadas pela galera era o exagero da Marvel em colocar tantas armaduras na divulgação do filme, fato muito bem explicado no decorrer da película. Sim, é um belo motivo pra se ter mais brinquedos do herói nas lojas, só que dessa vez a própria trama tem a ver com isso e não fica algo “muito” gratuíto.

HF3 Gp

Vale também comentar uma maior participação do elenco feminino nesse filme, principalmente Pepper Potts que está muito mais ativa e tem papel crucial em várias partes da trama, na verdade ela protagoniza uma das partes mais legais do climax do filme, e não como mocinha em perigo ! Apesar da história ter muitos elementos da saga Extremis, os fãs de quadrinhos vão relacionar fácil essa interpretação da personagem com momentos mais recentes da personagem nas HQs, em que deixa de ser uma reles assessora e passa a verdadeira parceira de Tony Stark, em muios âmbitos.

Creio que todos estão acostumados com as famosas cenas pós-créditos dos filmes da Marvel, então não saiam do cinema antes das luzes acenderem !

Homem de Ferro 3
Ano: 2013
Direção: Shane Black
Elenco: Robert Downey Jr, Gwyneth Paltrow, Guy Pearce, Don Cheadle, Jean Favreau, Ben Kingsley
Duração: 130 minutos
Nota: 9

Anúncios

8 Respostas para “[Crítica] Homem de Ferro 3

  1. Excelente o personagem não? O cara é rico, playboy, carros do último tipo, belas mulheres. Por isto que gosto dele, não topo muitos os super-heróis cujo alter ego seja “oco” ou que tenha traumas psicológicos de adolescente e que busquem ser muito “certinhos”.

  2. Preciso assistir o filme novamente. Tive alguns contratempos na sessão mas, no geral, gostei do filme. Ele teve muitas sacadas boas como o uso da armadura de formas não convencionais. Porém, acho que o filme fica com aquele ar de “longo” e, justo na parte onde começam a mostrar as novas armaduras naquelas cenas frenéticas, os cortes são hiper rápidos, mal dá para ver os detalhes. Isso é algo que desgosto em Transformers e que se mostrou presente no Homem de Ferro 3 também. Ao invés da câmera acompanhando os movimentos, tem muito corte seco. Mas isso não chega a estragar o filme, apesar de me incomodar 😛

    Bem observada a comparação dos momentos de “pindaíba” de Tony Stark que remetem ao primeiro filme. 🙂

    • Eu achei acertados esses cortes secos nas cenas de ao, se perdessem mais segundos focando as armaduras ia ficar com mais cara de propaganda de brinquedos ainda no acha ?

      J Transformers eu acho mal dirigido mesmo, tanto que tentaram diminuir isso nas continuaes…que so filmes piores, mas fazer o que HAU UHAUHU

      Em 30 de abril de 2013 16:38, Positrniko!

      • Não acho não! 😛
        O maior problema que vi, foi o fato da câmera ficar muito fechada quando acontecem estes cortes secos, desta forma fica muito confuso e desagradável, pelo menos pra mim, o andamento das cenas. A questão da velocidade, mostrando por exemplo ele sobrevoando e deixando um rastro, já deixa a impressão de forma legal. Mas quando o ângulo é muito fechado, acho feio pra caralho! Isso, aliás, foi uma das poucas coisas que não curti em Mercenários!

        Transformers, apesar dos pesares perde muito pela longa duração (olha só que ironia!). Se fossem editados e montados de forma mais enxuta, ficariam menos cansativos. Pois eles tem, em média, 2 horas e meia! Se tirassem cerca de 40 minutos a 1 hora de cada, ficariam bem melhores (nesse quesito, pelo menos).

        Há filmes e filmes mas, na minha concepção, 90 minutos é o ideal para filmes de ação e isso vale também para os filmes do “ferro e fogo” aí. Quando passa muito disso, os minutos a mais geralmente são para encher linguiça.

      • Sempre achei 90 minutos o ideal mas hoje j acho os de 120 aceitveis tambm. Agora 3 horas de filme tenso, nenhum filme com esse tempo no isento de muita gordura.

        Quanto essas cmeras do HF3, pra mim, elas justamente deram o aspecto de “frenesi” que a cena precisava, afinal as armaduras estavam voando rpido pra cacete e por todos os lados, dificultando mesmo a visualizao 🙂

        Em 30 de abril de 2013 18:54, Positrniko!

  3. Não tem como eu explicar, em poucas linhas, exatamente as cenas que me incomodaram. Seria mais fácil mostrando no vídeo mesmo, hehehe. Mas vai aqui um exemplo de como poderia ter sido feito e aí talvez você entenda o que eu quero dizer (lembrando que em uma das cenas frenéticas do ferroso tem sim uma grande “equipe” atuando):

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s