Animes de Robô no Brasil

Tetsujin

Hoje em dia está tranquilo ser fã de qualquer coisa, basta um clique pra conseguir as informações que quiser, inclusive até desfrutar “gratuitamente” do que se gosta. Mas e no tempo do VHS, como ser fã de algo tão específico quanto robôs gigantes japoneses ? As linhas abaixo mostrarão a vocês o quanto o gênero já foi forte no Brasil, com as mais variadas séries e filmes perambulando pelas locadoras e canais de TV, encantando milhares de crianças que nunca conseguiriam achar nas lojas os brinquedos de seus programas preferidos.

1231915915264_fEntre os anos 80 e 90, era relativamente comum lançar séries animadas e live actions japoneses completos (ou quase) direto na locadora. Uma boa carreira no home vídeo era um passo pra se exibir o programa em algum canal da rede aberta, e assim atingir muito mais público. O problema é que ao contrário de Cavaleiros do Zodíaco, que já chegou com uma campanha de marketing bem forte, muitos programas eram exibidos mais pra tapar buraco de programação infantil do que pra vender brinquedos. E convenhamos que qualquer desenho com robôs gigantes é criado pra vender quinquilharias, independente da seriedade da trama apresentada semanalmente pra criançada.

Como boa parte do material dessa lista passou por aqui nos tempos anteriores a internet banda larga, não consegui documentar corretamente quando cada série foi lançada no Brasil. Então para termos uma certa ordem, colocarei os desenhos a partir de sua data de lançamento no Japão. E a lista ficou grande. Alguns sentirão falta de séries como Astroboy. Ghost in The Shell, e até Medabots (!) mas pra não  virar um trabalho mais hercúleo ainda, limitei meu escopo aos robôs gigantes !!!

Gigantor (Tetsujin 28 Go – 1966) (TV-Rede Record)

Pirata do Espaço (Groizer X – 1976) (TV-CNT/Manchete)

Voltes V (Chõdenji Machine Voltes V – 1977) (VHS)

Baldios (Uchu Senshi Baldios – 1980) (VHS) (infelizmente só achei essa abertura italiana pra postar)

GoShogun (1981) (VHS)

Voltron (Beast King GoLion – 1981) (VHS)

Robotech / Guerra das Galáxias (Chõjiku Yõsai Makurosu – 1982) (VHS e TV-Globo/Gazeta)

 

Arbegas (Kosoku Denjin Albegus – 1983) (VHS)

Gorilla Force (Aku Dai Sakusen Srungle – 1983) (TV-Record)

Comando Dulbock (Tokusõ Kihei Dorubakku – 1983) (VHS)

Saber Rider (Sei Jushi Bismarck – 1984) (TV-SBT)

Zeoraima (Hades Project Zeorymer – 1988) (TV-Manchete)

Patlabor (Kidõ Keisatsu Patoreiba – 1988) (TV-Fox Kids)

Detonator Orgun (1991) (TV-Manchete)

Robô Gigante (Giant Robo The Animation – 1992) (VHS)

Guerreiras Mágicas de Rayearth (Majiku Naito Reiasu – 1994) (TV-SBT e VHS)

Gundam Wing (Shin Kidõ Senki Gundam Wing – 1995) (TV-Cartoon Network)

Evangelion (Shin Seiki Evangerion – 1995) (TV-Animax/Locomotion)

Nadesico (Kidõ Senkan Nadeshiko – 1996) (TV-Animax)

Gasaraki (Gasaraki – 1998) (TV-Locomotion)

Cybaster (Masou Kishin Saibasuta – 1999 ) (TV-Locomotion)

Sakura Wars (2000) (TV-Cartoon Network)

Vandread (2000) (TV-Animax)

Transformers Armada (2003) (TV-Globo/Jetix/Fox Kids)

Burst Angel (2004) (TV-Animax)

Até que tivemos muita coisa pra assistir hein ? Isso porque não citei algumas séries que tiveram suas sequências lançadas (como Macross, que também teve o filme e OVA lançados), ou as que infelizmente passaram incompletas. Hoje acho difícil uma dessas series ser relançada, mas seria interessante ver algum desses canais de streaming como Netflix, e principalmente o Crunchyroll, investir nesse tipo de animação. Quem souber como pressionar esses caras, manifeste-se nos comentários !

Anúncios

14 Respostas para “Animes de Robô no Brasil

  1. Estou totalmente por fora deste negócio de animê, As Guerreiras Mágicas de Rayearth são robos?

    Acho que um dos precursores deste tipo de série foi Vingadores do Espaço, baseado nos mangás do Osamu Tezuka, baita referência,criador de A princesa e o cavaleiro. Vingadores é da mesma e´poca do Ultraman, sendo criada inclusive para competir com a série da Tsubaraya. A série de actions figures da família Ultraman ainda é facilmente encontrada no comércio aqui em São Paulo.

    De bom nos animês é a quantidade, os japoneses sempre produziram estes programas em enorme quantidade e em muita variedade. Mas teve um preço, a qualidade nem sempre foi das melhores, muitas vezes os episódios eram toscamente produzidos.

    Lembrando sempre que animês são meio que filhotes dos mangás, os mangás sempre prezaram pela simplicidade. Por exemplo, os olhos nos mangás são sempre muito grandes. Apesar de gerar personagens esteticamente cativantes, um dos motivos era a simplicidade, é mais fácil desenhar. Às vezes nem tem cenário de fundo existe.

    Mas isto antigamente, até que seria interessante saber como anda a produção por lá no Japão, faz muito tempo que não acompanho nada.

    • Wilson, o mangá do Vingadores do Espaço veio 10 anos depois do Tetsujin 28, o Vingadores é de 66 e o Tetsujin é de 56, então o primeiro anime dessa lista aqui acabou sendo baseado no primeiro mangá de robôs gigantes mesmo 🙂

      O seu conceito de mangá é interessante, embora eu não concorde com ele XD
      Nos primordios do mangá o estilo de quadrinhos popularizados pelo Tezuka realmente tinha traços mais simples, uma linha que seguia o cartoon americano (da Disney na verdade) mas que incluia particularidades da cultura japonesa como os olhos grandes pra passar mais sentimentos, e narrativa “cinematográfica”, onde a ação não era narrada por um terceiro, mas acompanhada quadro a quadro pelo leitor. Mas como qualquer estilo artistico, ele foi evoluindo em estética com o passar dos anos, hoje é fácil achar até em bancas brasileiras mangás com desenhos hiper intrincados, basta folhear títulos como Bakuman, Air Gear ou D.Grayman… bom, eu gosto muito de mangá (nem tanto de anime) e a disucssão aqui pode ir longe HAUUA HUA

      Valeu pelo comentário Wilson !!! E respondendo só agora a pergunta, as Guerreiras Mágicas não são robôs, mas pilotam robôs em episódios avançados da série e também no filme.

      • tudo que vc disse é verdade!
        é que eu ainda sou do tempo que mangá eram vendidos em livrinhos, tipo brochura. Tem muito destes exemplares ainda nas lojas do bairro da LIberdade em São Paulo. Quando eu lia, lembro que era tudo feito preto e branco, em papel jornal, razão pela qual nunca tive muita apreço por este tipo de publicação.

        Mas eu sempre gostei dos artistas da Disney, Barks, Gotfredson, Murry e Don Rosa. Em especial o Don Rosa tem um traço bastante refinado e detalhista. Os outros, realmente faziam quadrinhos bem espartanos.

        Pra frisar que mangá prezava pela simplicidade do traço, basta olhar para o Mauricio de Sousa, cujo traço era muito inspirado nos quadrinhos japoneses.

        Porém, digo novamente, você deve ter razão, pois os quadrinhos devem ter evoluído muito desde a época que eu parei de ler mangá, e isto faz um bocado de tempo…

        Quadrinhos, eu ainda adoro, mas tenho uma sensação que num futuro próximo vão acabar. Porque o custo de produção é muito alto, artistas cobram caro, impressão, distribuição. Lembra do Stewart, da Comic Book Store da série Big Bang? Eles vivem brincando com o tema, o Stewart nunca tem clientes, tá sempre liso de grana. Lembro também do fim da revista Amazing Spider Man (eu lia as revistas do Aranha até não aguentar mais, adorava quando tinha história desenhada pelo John Romita).

        E vamos combinar que a transposição dos quadrinhos pro cinema ficou muito melhor, vide casos do Batman com o Nolan, Homem de Ferro, Vingadores e o último Homem-Aranha (mas vamos deixar de fora as tranqueiras tipo Demolidor e Fantasma 🙂 ).

        Já animes viraram artigo de nicho, voltado para público muito restrito. Na Liberdade tem muito DVD de animê. Com a atual produção em computadores, e a Pixar, creio que animação mudou de patamar. Acho que o único personagem japonês que conseguiu uma projeção razoável nos USA foi o Speed Racer. Sem cativar um mercado como o estadunidense, fica muito difícil.

      • Tu falou tudo mano, distribuição é algo que mata os quadrinhos, muito caro bancar quem produz a revista, bancar a impressão e ainda fazer o material chegar ao leitor. Acrdito tb que os gibis vão acabar, mas o que vai sumir é o que conhecemos como hq de papel. Pra tu ver, nos EUA a Marvel e a DC já vendem bem os quadrinhos digitais, só não dá pra zerar ainda o papel por causa de fãs velhacos como eu (e talvez você), que ainda prezam em ter suas coleções visiveis na estante. E agora com os quadrinhos sendo o novo filão bilionário do cinema, aí sim vão continuar mantendo a máquina funcionando. Só fico chateado que no Brasil a industria não tenha força suficiente pra que um autor sobreviva fazendo quadrinhos só por aqui…

        Amo HQs. Ainda compro alguns mangás todo mês, e uma ou outra hq nacional…só dei uma pausa mesmo nos super heróis, quando posso ainda pego encadernados, mas a qualidade das mensais tá péssima nos últimos 10 anos. Ou até mais !! Uma ou outra coisa se salva, mas os americanos tem a mania de ficar recontando a mesma história eternamente, só que são melhores na propaganda da coisa do que na execução 😦

        Anime e mangá infelizmente são nicho mesmo, mas por mais que no ocidente a animação tradicional esteja indo pro cacete, os animes estão tão enraizados na cultura ocidental que dúvido que acabem. Tanto que conseguiram “contaminar” a Coréia com o mangá, e agora os caras já tem sua prórpia industria cultural cheia de games e histórias em quadrinhos, muitas inclusive com apoio financeiro do governo !!!

    • “De bom nos animês é a quantidade, os japoneses sempre produziram estes programas em enorme quantidade e em muita variedade. Mas teve um preço, a qualidade nem sempre foi das melhores, muitas vezes os episódios eram toscamente produzidos.” – > nesse ponto, concordo totalmente, Wilson! 🙂

  2. Aqui em Osasco, onde moro, tem um cara que produz quadrinhos, faz muito tempo. Mas só on-line : http://homemgrilo.com

    não sei como sobre sobrevivem, apesar de que vivem perto da minha casa. Nem conheço a turma, mas fica aí a título de curiosidade.

  3. Finalmente, vi tudo 🙂

    Interessante ver que, nas séries mais antigas, era comum o esquema de robôs modulares (vários robôs menores que formam um grande), como nos Super Sentais.

    Caramba, a qualidade de animação desse Robotech / Guerra das Galáxias (Macross) é sensacional para um desenho de 1982! Tudo bem que deve estar mega remasterizado, mas mesmo assim é de chamar atenção!

    Esse Gorilla Force tem uns designs de robôs animais! (sem trocadilho)

    Hahaha, esse Saber Rider já tinha visto alguma coisa, bem estiloso!

    Zeoraima Sei que passou no U.S. Manga, mas esse foi um dos que ouvi falar muito, mas não assisti 😦

    Ah, Patlabor! Série maravilhosa! Essa acho que vale até um post resgatado das profundezas do meu outro blog, ein Rodrigo? 😉

    Detonator Orgun, esse eu vi, muito bom! Clássico do U.S. Manga! (mó barato a música do programa invadindo o anime, hahaha, pior que ficou legal! Deu mais pressão!)

    Esse “Robô Gigante” é muito bom! Vi apenas o longa metragem ou OVA se não me engano! Qualidade de animação excelente!

    Guerreiras Mágicas de Rayearth , esse eu lembro, mas não acompanhei, nem lembrava que tinham robôs gigantes XD

    Gundam Wing, sou suspeito para falar, já que sou fã de toda franquia Gundam, muito bom!

    Evangelion, eis um anime que amo e odeio! Não sei se teria coragem de assistir novamente, uma das animações de maior qualidade que já vi! Mecha design sensacional, os mecanismos e tecnologia com um realismo e coerência impressionantes… porém com muitos momentos prá lá de depressivos e final mais depressivo (e maluco) ainda, isso porque vi o final “bom”, hehehe. Não sei se eu hoje em dia eu teria a mente mais aberta e gostaria mais… provavelmente nunca saberei.

    Gosto de quase tudo que envolva robôs gigantes, mas esses designs estilo esse do Nadesico curto muito, esse anime em especial, nunca assisti. Gasaraki, idem!

    Esse Cybaster só vi essa abertura, mas tenho muita vontade de assistir, essa música é muito boa!

    Nesse anime, os robôs dos Transformers são bem turbinados, ein! 🙂

    Parabéns pelo post e pelo ótimo trabalho de pesquisa!

  4. cara como é o nome do primeiro anime com a foto do robo e com um garoto com uma maleta, acho que é esse anime que procuro desesperado pra tentar lembrar de um que eu gostava quando era pequeno. o garoto controla o robo com esta maleta nao é?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s