Kindle

Kindle - 01Como muitos já devem saber, a Amazon (grande varejista americana) chegou no Brasil. Lá fora, eles vendem “de tudo” mas, aqui, estão apenas com e-books (livros digitais), por enquanto. E, nos últimos dias, ficou disponível para compra o dispositivo para leitura destes e-books, o Kindle. Adquiri o meu na semana de lançamento, já pude ler um livro nele e darei minhas opiniões, impressões, etc. Farei um apanhado geral, para ajudar quem está em dúvida em comprar um Kindle, uma Tablet ou até mesmo se é melhor continuar somente nos livros impressos.

Preço: R$ 299,00 (na data de publicação deste post, vendido no site do Ponto Frio e em lojas físicas da Livraria da Vila).
– Este é o preço oficial de venda no Brasil. Não é barato, mas não é exorbitante. Porém, ainda é um investimento, uma aposta no formato que é sucesso lá fora, mas está começando agora por aqui. Na dúvida, é melhor esperar mais um pouco, até mesmo visando uma queda de preço no aparelho e, principalmente, nos e-books.

Especificações Técnicas
Tentarei explicar cada uma delas:

Tela: Tela E Ink Pearl de 6″ (15,2cm) da Amazon, com tecnologia de fontes otimizada,167 ppi, escala de cinzas com 16 níveis.
–  Esse “E Ink” (Tinta Eletrônica) que tanto falam que se assemelha ao papel é algo como um visor de um relógio de pulso digital (sem reflexo), porém com uma resolução bem maior.
– A tela não emite luz, portanto se quiser ler no escuro, você precisará de uma fonte de luz externa.
– O tamanho da tela é bem razoável. Equivalente a um livro de bolso.
– A tela, apesar de exibir figuras, não é colorida, portanto não é recomendável para leitura de revistas. Algumas pessoas dizem que é bom para ler mangás, mas não testei esse conteúdo ainda.

Dimensões: 165,75 mm x 114,5 mm x 8,7 mm
Peso: 170 gramas
– Mais fino e mais leve que um Iphone 4 (estou usando este aparelho como referência, pois é o único que tenho em mãos no momento).
– Para efeito de comparação, ele tem praticamente o mesmo tamanho de um daqueles livros de bolso da L&PM:

Clique para ampliar

Clique para ampliar

– Apesar da propaganda tentar nos convencer do contrário (com o Kindle sendo colocado dentro de um paletó), não é um aparelho que possa ser levado no bolso. Pelo menos não sem muito incomodo. Ele cabe tranquilamente em um bolso lateral de calça ou bermuda cargo, mas eu não recomendaria pelo risco de danificar o aparelho, que aparenta ter uma tela bem frágil ao contrário dos smartphones e tablets que vemos por aí.

Armazenamento: 2 GB interno (aproximadamente 1,25 GB disponíveis para conteúdo do usuário)
– A primeira vista, pode parecer pouco mas, se levarmos em conta que cada livro ocupará (em média) menos de 1 MB, é mais do que suficiente. O livro “O Cão dos Baskerville” que comprei recentemente, tem apenas 430 KB. E você sempre poderá deixar uma cópia dos livros comprados (tanto na Amazon, como em outras lojas e documentos) na “Nuvem”.

Tempo de Bateria: Uma única carga dura até um mês com a função wireless desligada, baseando-se em uma leitura diária de 1/2 hora
– Ou seja: autonomia de até 15 horas.
– Como acredito que a maioria das pessoas vai ler mais do que meia hora por dia, podemos colocar mais de 1 semana de uso, em média.

Tempo de Recarga: Carga completa em aproximadamente 3 horas por meio de um cabo USB (incluído) conectado a um computador
– Tempo de carga razoável. E podemos poupar muita bateria deixando a Wi-Fi desligada durante a leitura.
– Dica: Você pode deixá-lo carregando no seu PC de casa ou do trabalho enquanto não o usa.

Conectividade Wi-Fi: Suporta Wi-Fi b/g/n e protocolos de segurança WEP, WPA, e WPA2
– Essa conexão Wi-Fi é importante para baixarmos os livros, sincronizarmos conteúdo, etc.
– Vale lembrar que podemos comprar livros diretamente do Kindle, sem necessidade de um PC.
– E 3G? Não tem, mas a dica é: se realmente precisar acessar internet fora de casa, é possível compartilhar a conexão 3G do seu Smartphone e, através dela, usar internet do seu Kindle.
– Você também pode usar as redes Wi-Fi públicas ou do trabalho.

Porta USB: USB 2.0 (conector micro-B) para conexão com o adaptador de corrente do Kindle (vendido separadamente) ou para conexão com um computador PC ou Macintosh
– Além de servir para recarga, a conexão USB permite visualizar o conteúdo armazenado no Kindle, de forma semelhante a um pen drive. Permitindo, inclusive, inclusão manual de arquivos nele.
– Mas acredite: a praticidade de enviar arquivos por e-mail e acessá-los da Nuvem é tão grande que você deverá usar o cabo mais para recarga mesmo.

Formatos de Conteúdo Suportados Kindle: (AZW), TXT, PDF, MOBI sem proteção e PRC naturalmente; HTML, DOC, DOCX, JPEG, GIF, PNG e BMP através de conversão
– Para não ter dor de cabeça, o mais recomendável é comprar e-books da própria Amazon. Lembrando que os e-books comprados na Amazon só poderão ser usados no Kindle ou em seus aplicativos, você não poderá usá-los em e-book readers de outra marca.
– A conversão de documentos é muito simples: basta enviá-los para seuemail@kindle.com, o próprio serviço irá converter e transferir o conteúdo para Nuvem. Basta usar a opção de sincronização para poder baixar e ler no seu Kindle.
– Obs: Para arquivos ePub, antes de enviar por e-mail, você tem que convertê-los usando programas como Calibre, que é simples de usar.
– E arquivos PDF, ficam legais no Kindle? Não! Testei aqui e achei uma porcaria, pois são baseados em imagem e não permitem a manipulação do texto para quebra de linhas, é possível convertê-los para texto, mas o resultado geralmente não é muito bom. Para PDFs, creio que seja melhor usar tablets com telas maiores.

Garantia e Assistência: Garantia limitada e assistência técnica por 1 ano inclusas
– O normal para um produto comprado oficialmente no Brasil, o mínimo que se espera.

Incluídos na Caixa: Leitor de livros digitais Kindle, cabo USB 2.0 para carga, e Guia de Iniciação Rápida
– Não está incluso o adaptador para tomada, mas como todos devem possuir um PC com porta USB, isso não gera grandes problemas. Mas para quem costuma viajar para locais com menor acesso a  tecnologia, talvez seja uma boa ideia comprar o item separado.

Acessórios vendidos separadamente: Adaptador para tomada, Capas e Luz Externa
– A luz externa acho algo meio inútil, a não ser que você faça questão de ler no escuro. Porém, se fizer questão, espere o lançamento no Brasil do novo modelo Kindle Paper White que já tem luz própria.
– A capa de couro oficial vendida no Brasil parece bem feita, mas seu preço é exorbitante: R$ 150,00!!! Metade do valor do aparelho! Sempre há a opção de capas genéricas. De qualquer forma, é bom tomar cuidado com a tela quando for colocar o aparelho em bolsas ou mochilas, pois aparenta ser bem frágil.

Botões Inferiores:
– Início (Home): Retorna a tela principal, onde é exibida a lista com seus livros.
– Menu: Abre um menu de opções de acordo com o contexto, se estiver na página de algum livro serão exibidas opções como ir para determinada página, pesquisar palavra, adicionar marcador, etc.
– Teclado: Em algumas situações, abre um teclado virtual para digitar uma palavra a ser pesquisada ou para fazer anotações.
– Voltar: retorna as telas, uma a uma, na ordem em que foram acessadas
– Controle: Assim como nos celulares, permite mover em 4 direções e confirmar a opção selecionada com o botão central. Servem para mudar o capítulo (esquerda ou direita) e também para selecionar palavras para fazer destaques ou ver seu significado no dicionário (muito interessante e útil esta função!).

Botões Laterais:
– São 4 botões, 2 de cada lado do aparelho (o que possibilita ler,  avançar ou retroceder as páginas segurando com uma mão, seja a esquerda ou direita).
– O botão de Próxima Página > tem o dobro do comprimento do botão Página Anterior <
Kindle - 03

Ergonomia
O aparelho é bem leve, seu peso não incomoda. Ele é bem fino, isso já pode incomodar quem está acostumado a ler apenas livros impressos, pois não sentirá a “pegada” habitual. Para quem for utilizá-lo na orientação Retrato, para a qual foi pensado, não terá grandes problemas para segurá-lo e manuseá-lo. Os botões Avanço e Retrocesso de página, ficam numa posição de fácil acesso para os polegares, a dica é usar a parte da digital do polegar para pressioná-los e não a ponta do dedo.

Para quem usar o aparelho na orientação Paisagem, sentirá inicialmente um certo estranhamento na posição que os botões de Avanço e Retrocesso ficarão. Eles não responderão tão bem como quando o aparelho é segurado na orientação Retrato, mas é fácil de acostumar. Na orientação Paisagem, senti uma pegada um pouco melhor. Porém a escolhi como padrão, porque no tamanho de fonte que uso, o texto fica melhor justificado na tela, cabendo mais palavras por linha. Para quem puder ler com fontes menores, a orientação Retrato é a ideal.

Para ler deitado, achei que cansam os braços muito rápido, acho que em livros impressos não cansa tão rápido pois a pegada é bem diferente, até pelo movimento de abertura do livro que fazemos. Nesse quesito, não é muito confortável. E, assim como livro, a iluminação nessa posição fica um pouco prejudicada.

Porque um Kindle e não um Tablet ou Ipad?
Muitos não vêem sentido em comprar um Kindle (ou outro e-book reader) ao invés de uma Tablet, já que o primeiro é muito mais limitado. Realmente em um Tablet ou Ipad, você poderá jogar, ouvir músicas, assistir vídeos, acessar internet e inclusive ler. Se você não se incomoda em ler na tela do Tablet, de um celular, ou até mesmo de um PC, não há motivos para a compra de um Kindle. Inclusive, existe um aplicativo gratuito para estas plataformas, onde você pode comprar os livros digitais do Kindle e aproveitar todos os seus recursos.

Porém, muitas pessoas se queixam de “visão cansada” ou dores de cabeça quando passam muito tempo lendo nestes dispositivos. No Ipad, uma queixa frequente é o reflexo na tela, depois de ver alguns vídeos relatando isso, vi que a tela do Ipad pode ser um “espelho” mesmo. Nestes casos, pode-se optar pelo livro impresso ou pelo Kindle. A grande vantagem do Kindle é exatamente por sua tela não emitir luz ou brilho e poder ser lido sob a luz do Sol. Tive a oportunidade de ler um livro inteiro nele e realmente é bem menos cansativo do que ler na tela do PC, Tablet ou Smartphone.

Outra coisa que o Kindle traz é o sossego: geralmente nossos Smartphones e Tablets estão sempre conectados à internet e recebendo notificações de redes sociais, mensagens, etc. O Kindle foca somente na leitura, você nunca será interrompido por este tipo de coisa. O único momento de interagir com redes sociais é quando você terminar de ler o livro ou quando quiser compartilhar algum trecho ou nota. Outro atrativo é sua bateria que, com Wi-Fi desligado na maior parte do tempo, dura muito mais que em um Tablet.

Livro Impresso x e-book
Ao contrário do que muitos pensam, não está declarada a morte do livro impresso. Se você está satisfeito com este formato, não há motivos para migrar para os e-books, a não se que tenha problemas de espaço físico: como não ter mais lugar na estante ou se for um estudante/profissional que precise carregar uma grande quantidade de livros consigo.

Durante muito tempo, fui um grande crítico da mídia digital, mas pouco a pouco, estou aceitando-a cada vez mais. Nos games, por conta do Steam e seus preços muito mais convidativos. No caso dos livros, devido a uma questão de acessibilidade. Tenho grande dificuldade para ler livros impressos devido ao tamanho da fonte. O e-book / Kindle permite manipular isso mudando a fonte e alterando o seu tamanho. Esse foi o maior de todos os motivos para migrar para esse formato. Mas devo confessar também que o espaço de minha estante estava se esgotando. 😛

Kindle - 05
Prós

– O conforto da leitura em sua tela.
– Possibilidade de comprar livros diretamente do aparelho.
– A Amazon lhe dá o prazo de até 7 dias para devolver o livro e ter reembolso, sem burocracia.
– Dicionário que permite ver, na hora, o significado de uma palavra do livro.
– Possibilidade de sincronizar notas, destaques e marcador de página (onde parou de ler) de qualquer dispositivo rodando o aplicativo do Kindle.
– Ótimo para ler sob luz do sol, aliás: a leitura sob a luz natural é até mais agradável do que com luz artificial. Li no ônibus e está aprovado! Só o relexo da janela que, de repente, pode ser notado, mas não atrapalha a leitura de forma alguma.

Contras
– O preços praticados dos e-books estão muito altos em relação aos impressos. (dependendo do ponto de vista, pode não ser considerado um contra).
– O catálogo de livros em Português ainda é muito pequeno. O que deixa a desejar para quem quer ler algo mais específico que fuja dos best sellers atuais.
– A Amazon utiliza um formato proprietário. Apesar de ser possível a conversão de formatos, ao comprar um e-book em outro site, você corre o risco do mesmo  ter proteção DRM que impede a conversão, por isso é bom ficar atento antes de comprar e-books em outros locais que não a Amazon.
– Pelo menos nos 2 livros que comprei na Amazon, não é mostrado o número de páginas, apesar de mostrar a posição e porcentagem da leitura, a falta de numeração de páginas prejudica quem participa de grupos de leitura ou indicar um trecho de uma página específica para alguém que possui o livro impresso. Nos e-books que peguei fora da Amazon, todos mostram a numeração das páginas, mesmo depois de convertidos.

Conclusão
No meu caso, até o momento, compensou muito! Acabei de comprar o livro “A Revolta de Atlas” e estou lendo freneticamente! Minha maior crítica à Amazon é a carência de livros de nicho, como Ficção Científica. Seu acervo atual é muito pobre. Porém, por enquanto, estou tranquilo por ter conseguido títulos desse gênero em outros sites. Mas a Amazon tem que abrir o olho e melhorar isso, caso contrário, ficará para trás ou sofrerá com a pirataria. Vale lembrar que temos um forte concorrente da Livraria Cultura, o Kobo, não posso dizer muita coisa sobre o serviço dele e da Livraria Cultura, mas me parece um ótimo aparelho e com plataforma mais aberta. Já no caso da Amazon/Kindle, achei o serviço ótimo, precisando melhorar apenas os pontos que citei anteriormente.

e-books no Brasil
Se quiser saber mais sobre o mundo dos e-books no Brasil, notícias do mercado e até a sua história, recomendo fortemente que acesse o site ou procure conteúdos relacionados do Ednei Procópio. Ao meu ver, ele é o cara mais entendido do assunto no Brasil, ele está na área desde os primórdios dos e-book readers que pesavam mais de 1 Kg e até hoje atua na área.

Dúvidas?
Tentei colocar aqui as impressões que tive até o momento, posso ter deixado muita coisa de lado. Se tiver alguma dúvida, fique a vontade para perguntar nos comentários!

Anúncios

18 Respostas para “Kindle

  1. algumas coisas me incomodam muito nos e-books:
    – perco toda a arte da capa, e alguns livros de arte, culinária, fotografia não servem nos e-books.
    – não dá para emprestar o livro. Quando compro um livro em papel, minha esposa e meu filho, e até alguns amigos podem pegar emprestado, no caso do e-book não dá para emprestar.
    – quadrinhos, infelizmente só nos tablets, de preferência iPad pela qualidade da tela Retina.
    – costumo ler muito à noite, de madrugada. Neste quesito os tablets ainda são melhores, pois dispensam uso de luz auxiliar.

    me incomoda também a oferta de e-books. Em todos os sites, aparece indicação do livro 50 tons, ou como o livro mais vendido. Diferente de quando eu visito a Banes & Noble, por exemplo.

    E achei que haveria oferta de coleções completas com desconto, mas não vi nada do tipo.

    Aí acho que os editores, livreiros e varejistas não tem razão de reclamar da pirataria. A oferta de livros piratas é enorme, geralmente com coleções mais que completas. Até em sites tipo mercado livre tem oferta de e-books.

    e preço do e-book só vai cair se as vendas aumentarem. Pelo contrário, se continuarem a vender pouco, a tendência é que o preço suba. Porque o custo fixo dos varejistas e das editoras vai acabar sendo o determinante no preço final dos e-books.

    • Olá Wilson!

      Apesar dos e-books possuírem a imagem da capa, faz falta uma capa externa mesmo. É isso que fiquei pensando: geralmente vemos pessoas em locais públicos lendo e, mesmo sem xeretar muito, conseguimos ver o que estão lendo e, em alguns casos, até puxar conversa. Os e-books perderam isso.

      Sobre emprestar, para falar a verdade, até existe. Mas no Brasil acho que este serviço não funciona ainda. Lendo o guia de usuário, dizem que é sim possível emprestar livros para os amigos e até mesmo pegar livros emprestados de bibliotecas virtuais, mas com certeza, tem muito mais restrições do que no livro impresso.

      Infelizmente, quanto a variedade de títulos e preços, está muito fraco mesmo! Realmente, estão focando mais nos best sellers e livros atuais. Mas a tendência é aumentar, vale lembrar que a Amazon está nesse ramo dos e-books com o Kindle desde de 2007, por aqui não completamos nem um mês ainda. Espero que melhore bastante, mas não sei dizer se o formato vai pegar e se expandir.

      No meu caso, como estou meio “refém” dos e-books, resolvi entrar em contato com algumas editoras e até o momento tive resposta apenas da Companhia das Letras, segue trecho do e-mail que me responderam:

      “(…)Desde o lançamento da loja brasileira da Amazon, no mês passado, nós já disponibilizamos todo o nosso catálogo de e-books – que hoje conta com quase 600 títulos – para o Kindle. Em relação ao Dawkins, realmente ainda não temos nenhum dos livros dele em formato digital. Isso acontece porque, no caso dos livros mais antigos, precisamos rever nossos contratos para incluir o direito de publicação em e-book, um processo que costuma ser um pouco demorado, especialmente no caso de autores estrangeiros. Por isso, infelizmente ainda não consigo te dar uma previsão de lançamento destes e-books, mas estamos trabalhando nisso – certamente um autor tão importante não ficará de fora do nosso catálogo digital!(..)”

      Muito obrigado pelo comentário, Wilson! Saiba que concordo em praticamente todos os pontos que você colocou. No post, me limitei a falar mais do Kindle em si para dar as impressões, mas fique a vontade para comentar e debater um pouco mais além disso. Um abraço e Feliz 2013!

  2. Estou usando um Kobo, comprado aqui no Brasil. Coloquei uns livros nele, mas aí tive minha primeira dificuldade: quero deixar vários dicionários nele, mas só consigo usar um de cada vez, deixei o de portugues mesmo. Qdo for ler em outra lingua, tenho de sincronizar outro dicionário.

    Além disso, uso um iPad também, e leio no notebook às vezes, depende de onde estou. Apesar da força da Amazon, estou dando o máximo de apoio a Cultura e mesmo ao Google. Óbvio, o DRM tá me atrapalhando muito.

    E por incrível que possa parecer, a loja mais simpática é a Apple. Tudo mais caro lá, mas a comodidade deles mais que compensa. Porque acredito que logo todo mundo vai perceber que não é coisa de R$2 ou R$3 que me leva a comprar em outra livraria. Por diferença irrisória, a comodidade e o valor do serviço agregado conta muito mais.

    E já notei que quando a gente tem muito e-book, navegar nas telas destes readers é realmente uma tortura. Apesar da tela do Kobo ser touch, nem se compara a fluidez e velocidade que tenho nos meus tablets. Aí a tela de 10″ do iPad 3 ganha de mil a zero até do notebook.

    A favor do reader? Eu diria o peso e o preço.

    • Ah, você está usando o Kobo, legal! Infelizmente, só vim conhecer o Kobo depois de já ter decidido pegar o Kindle. Apesar de ele não ser tão conhecido como o Kindle, parece ser tão bom quanto. E esse modelo que a Livraria Cultura está vendendo, apesar de um pouco mais caro, tem mais funções do que o Kindle que a Amazon lançou por aqui (acho que quiseram apostar primeiro num produto mais barato, antes de colocar outros modelos por aqui, o compatível com esse seu, seria o Kindle Paper White).

      Sobre os dicionários, estou lendo apenas livros em português, por enquanto, mas resolvi fazer um teste: peguei um grátis (em inglês) na Amazon: “Alice’s Adventures in Wonderland”. Foi sem problemas: basta selecionar a palavra e é carregado o dicionário em inglês automaticamente.

      Se puder, conte mais sobre o DRM, qual a dificuldade que você encontra? Tem que registrar os aparelhos que você vai usar o livro ou algo assim?

      Da Apple deve ser bem legal mesmo. Confesso que pensei em pegar um Ipad, depois de começar a usar Ipod/Iphone peguei gosto pela qualidade dos produtos deles, mas achei um alto investimento para foco na leitura (pois era meu principal objetivo, caso pegasse).Uma coisa que esbarro um pouco é a loja deles, tenho conta na Americana e Uruguaia, acabei não aderindo a loja brasileira por ter pouco conteúdo em se falando em jogos. Mas lendo notícias vi que a Apple vai muito bem:

      http://ebookpress.wordpress.com/2012/11/15/apple-ja-vende-mais-ebooks-que-saraiva-e-cultura-combinadas-conheca-o-segredo/

      Sobre a quantidade de livros, ainda tenho poucos. Então não dá para falar com muita propriedade. Mas no Kindle, vi que é recomendável montar coleções (como se fossem pastas) e fiz um teste na pesquisa, achei que ele atendeu bem. Coloquei o nome do autor e ele já listou os livros.

      Em questão de fluidez na tela, aí não tem como melhorar muito. Esse E Ink é esquisitão mesmo, ele foi pensado mais para exibição de imagem estática. Uma pena eu não ter um tripé, senão poderia fazer até um vídeo mostrando as funções aqui. Quanto as vantagens, é como eu disse: para quem consegue ler tranquilamente num Ipad ou Tablet, comprar um e-book reader seria meio que um acúmulo de gadgets. Porém, para quem, como eu, cansa facilmente a visão, o e-book proporciona um grande conforto.

      Obrigado pela troca de informações, Wilson! E, sem querer ser indiscreto, mas já sendo: que tipo de leitura você aprecia? Era para ser segredo, mas em breve lanço uma resenha (bem simples) de um personagem bem conhecido. Talvez você goste! Um abraço!

  3. Vou ser sincero, gosto mesmo é de blockbuster :-)))
    Sou um órfão do Dan Brown, MIchael Crichton e Scot Turow, faz tempo que não vejo livros deles. Andei lendo alguns do Harlan Coben, mas cansei do estilo dele.

    Depois de inúmeras indicações positivas, estou lendo Jogos Vorazes, no original em ingles no iPad. Vou até o fim mais por teimosia do que por gostar da história.

    Próximo da lista é o início da trilogia do Ken Follet. Estou tomando um fôlego pra encarar os dois primeiros volumes.

    Assim que possível, terei as obras do Erico Verissimo. Já pensou ter a série o Tempo e o Vento todinha no Kobo?

    E deixo um alerta aqui: livros em portugues oferecidos nas redes torrent, além de ser piratas, costumam ter textos traduzidos com o Google Translator, ou seja trazem toda a deficiência de tradução da ferramenta, uma tranqueira pra ler. E também erros grosseiros de ortografia e sintaxe, quer dizer que alguém ainda tentou ajustar o texto na mão. Vamos todos ficar longe deles

    • Ah, bem legal! Gosto muito de Dan Brown também, dele já li O Código da Vinci (que foi a minha primeira experiência de ler um livro antes de assistir a adaptação para Cinema. Fiz isso em meados de 2006, comprei o DVD na pré-venda e fiquei muito ansioso para terminar de ler e assistir o filme, imagine só!), também li Fortaleza Digital e Ponto de Impacto. Gostei de todos,mas o Fortaleza Digital talvez tenha sido o que mais gostei e o que achei mais frenético e “cinematográfico”. Minha única crítica ao Dan Brown em seus livros (talvez o problema seja eu) é que, em certos trechos, acho que ficam massantes e quebram muito o ritmo de leitura. No mais, histórias “simples”, mas escritas de forma muito boa e empolgante! 🙂

      Dos outros atores,só conhecia o Michael Crichton, ouvi um podcast sobre ele e realmente parecem ser muito empolgantes! Vi que o Turow, tem muitos livros com temática de tribunais (já que ele é advogado), tenho aqui (impressos) 2 do John Grishan: Tempo de Matar e O Cliente, mesmo já tendo assistido e gostado muito dos filmes, me interessei pela sua obra… mas não os li até hoje e devo comprá-los novamente em formato digita! 😦

      Em tempo, a você e a quem interessar, existe uma comunidade bem legal sobre livros, abaixo o link do meu perfil. Só não coloquei ainda as coisas que estou lendo no Kindle, porque acho que ainda não tem uma padronização lá para e-books, mas tem muitas coisas que eu já li que adicionei lá:

      http://www.skoob.com.br/estante/livros/todos/20203/page:1

      Vocês vão perceber que gosto muito de distopias. No mais, alguns clássicos e muitos aleatórios.

      Até mais!

      • uia… Jogos Vorazes é distopia!
        e faltou na sua coleção o clássico da distopia: Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley, acho que faz um conjunto bacana com George Orwell e Arthur Clark.

        Admirável Mundo Novo tinha também versão para cinema, talvez exista em DVD.

  4. Bom artifo Frank, excelente mesmo…o Kindle é um dos aparelhos que penso em adquirir, justamente por não caber mais nada em minha estante, tinha algumas dúvidas interessantes sobre esses lances e nunca tive a curiosidade de pesquisar, acho que vou reavaliar minha compra, uma vez que queria muito um PDF reader.

    • Valeu Muller! Na questão de espaço, ele ajuda muito mesmo! Mas uma coisa: não sei se você escreveu uma coisa e pensou outra, mas para ler apenas PDF, não achei o Kindle bom não! Agora se você quis dizer e-book reader, aí pode ir sem medo. Um abraço!

      • Eu não gosto de PDF, eu prefiro EPUB, acho o melhor formato.
        Em PDF não dá para usar dicionário, nem para selecionar um texto pra eventualmente compartilhar um texto com alguém.

  5. Pingback: [Resenha] Sherlock Holmes: O Cão dos Baskerville | Positrôniko!·

  6. Odeio DRM!
    comprei um livro no site da Cultura, aí eles me informam que tem suporte para tipos de devices (tem pro Kobo, desktop, iOS e Android).

    Paguei, e leva mais ou menos 1/2 hora para o livro estar disponível. Aí eu fiquei lá dando refresh no aplicativo do Kobo, não vinha nada,

    Aí pensei, ferrou… paguei, mas não vou pegar o livro.

    fui pra internet e entrei no site do Kobo, no meu armazenamento apareceu o livro que eu comprei, pedi pra fazer o download no formato ePUB e veio na hora.

    Aí fui jogar no iPad, não deu, problema de DRM. Que fazer? Fui pro Calibre, tirei DRM.
    Abri meu iPad e tentei importar o livro, não reconheceu. Voltei no Calibre, e mandei o livro pro meu device, só assim. Mas o tempo que eu perdi… Dava pra ter ido até a pé a livraria pra trazer o livro.

    Engraçado que agora, depois de baixar o ePub, apareceu o livro no app do meu notebook.

    à noite vamos ver o que vai acontecer, vou pegar meu Kobo e ver se o livro está lá.

    • Estranho mesmo, Wilson! Aqui nunca tive problemas desse tipo não. Legal saber que o programa Calibre quebra o DRM, isso ajuda se for querer comprar e-books de outra loja! Aqui, no Kindle, a única coisa estranha que aconteceu foi no aplicativo de PC. Uso o Kindle, mas também tem o aplicativo dele instalado no Iphone e PC. Devolvi um livro e pedi reembolso esses dias, no Kindle ele sumiu, no Iphone sumiu, mas no PC continua aparecendo normalmente, mesmo que eu mande sincronizar!

      Uma dúvida: No Kobo, geralmente mostra o número da página do livro? No Kindle, todos que comprei não mostram. Nos ePubs que peguei de outros lugares, só mostra se eu importar via Calibre. Até mais, espero que dê tudo certo e o seu livro apareça no Kobo! A propósito, qual título é? 🙂

      • Estou lendo Feche Bem os Olhos de John Verdon. Vamos ver, se eu gostar te conto depois.

        No Kobo sempre tem o número da página e o número total de páginas sim. No iBooks também aparece a página e o total de páginas

        O Kobo ainda faz uma graça de ficar fazendo estatísticas de leitura, tipo quantas horas lidas, qual o percentual lido do livro, de vez em quando aparecem aqueles “premiozinhos” por usar o leitor. Eu ganhei de cara o título de Night Rider, pois costumo ler no Kobo de noite e de madrugada 🙂

  7. Estive na Livraria Cultura outro dia, com o Kobo. A vendedora da loja da Av.Paulista, me falou que o wi-fi estava aberto, pois incentivam que a gente faça compras lá pelo próprio Kobo (não verifiquei se outros gadgets também se conectam livremente lá, mas imagino que sim).

    Aí me ocorreu a questão da segurança da compra on-line, pois utilizar redes wi-fi abertas para informar número de cartão de crédito me parece uma temeridade.

    Então, questões:

    – Kindle, Kobo, Nook, Sony PRS podem ser infectados por virus?
    – Em qual sistema operacional são baseados, Linux, Windows ou sistemas proprietários?
    – em transações via celular ou wi-fi, as transações são garantidas por altos níveis de criptografia?
    – qual a chance de ter os dados wi-fi serem hackeados? Imagino que por técnicas tipo man-in-the-middle seja possível ser roubado, mas isso porque não sei como funcionam os procedimentos de segurança destes equipamentos.

    • Ouvi falar dessa nova política deles, Wilson! Vou ser sincero: sou praticamente leigo no que se refere a sistemas operacionais de portáteis. Mas acho muito pouco provável serem infectados por vírus. O único risco que vejo, são players que funcionam como pen Drive também ao serem conectados na USB de computadores públicos. Mas por Wi-Fi, não vejo risco.

      Uma duvida: ao comprar pelo Kobo, precisa digitar o número do cartão? No Kindle, funciona assim: você acessa a loja, escolhe o livro e, ao clicar em comprar, já está feito, pois o cartão já fica associado a conta.

      E se alguém roubar o Kindle, eu posso tirar autorização do aparelho pelo site e pedir reembolso dos livros que, de repente, alguém tenha comprado no meu aparelho perdido ou roubado, em até 7 dias.

  8. Acho esse modelo do Kindle lindão. O meu é ainda cinza fosco. =/
    Sobre ebooks, é pra quem gosta mesmo da atividade de ler, não necessariamente colecionar, montar estante, etc. Eu admito que lia muito pouco, e depois do klindle passei a ler MUITO, mas MUITO MESMO. É bom porque dou uma boa filtrada e posso comprar o livro que realmente gostei quando li o ebook.

    • É verdade, Daniel: para colecionar, os livros impressos são muito melhores, principalmente os de capa dura e edições especiais! Eu também passei a ler muito mais com o Kindle, o ponto positivo é poder alternar para outro livro diferente quando o livro atual está num ponto mais arrastado e queremos algo mais dinâmico. Eu, pelo menos, nunca andei com mais de um livro impresso. Obrigado pelo comentário! Fique ligado em nossa seção de literatura, tem várias resenhas e, no final deste mês, postaremos mais uma 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s