Big Guy and Rusty

E mais uma vez o Japão vai ser assolado por um monstro gigante cuspidor de fogo… mas dessa vez, com roteiros de Frank Miller e desenhos de Geof Darrow !

Uma equipe de cientistas de Tóquio engendra um experimento para recriar o lodo primordial, a matéria prima de todos os seres vivos. Mas o que acabam trazendo a nossa era é uma criatura gigantesca e cruel, que curiosamente já domina  nossa língua…e quer destruir a raça humana ! Uma mistura de dinossauro e dragão, a fera caminha pela metrópole destruindo prédios e devorando cidadãos, que regurgitados acabam se transformando instantaneamente em novos monstros, cujo único objetivo é obliterar toda a humanidade da existência ! Os militares não conseguem fazer frente a criatura, que com uma cusparada de fogo quase destroi as esperanças dos japoneses, até que como último recurso, o governo envia a frente de batalha um robô chamado Rusty. Um menino robô. Só que os poderes núcleo-protônicos do garoto não fazem frente a criatura, e como último recurso a cúpula do governo japoneses resolve se humilhar, e pedir ajuda aos americanos. Algo que nenhum deles quer, mas que se mostra a única alternativa pra salvar o Japão…
Essa HQ pode ser lida de duas formas diferentes: enxergar como uma ode a cultura pop japonesa, com referências óbvias a filmes clássicos de monstro-gigante-que-destroi-toquio (estilo Godzilla), aos desenhos de super robôs, ao Astroboy… ou apenas mais uma empreitada nacionalista de Frank Miller, em que os japoneses não conseguem resolver sozinhos um problema interno. Em ambos os casos o destaque dessa publicação é arte detalhadíssima de Geof Darrow, que desenha grandes cenas de destruição como poucos desenhistas atuais, sendo perfeito para esse tipo de história. 
Gostei apenas do traço. Como fã de produções com monstros e robôs gigantes, foi um tanto bizarro ler uma obra em que o JAPÃO é salvo por um “super soldado” americano, que está ali apenas pra cumprir mais uma missão de salvamento, e ainda mostrar ao povo daquele país como é que se luta. Em uma edição vemos os orientais sendo morto e pisoteados como insetos, e na outra apenas o combate de Big Guy contra os monstros.

Por esses motivos até acredito que a série animada mostre uma abordagem diferente da dupla Big Guy e Rusty, transportando a ação para uma cidade fictícia e dando ao garoto robô um destaque muito maior que nos quadrinhos. Claro que a violência extrema também teve que desaparecer 😦
Big Guy and Rusty – The Boy Robot, é uma história em duas partes publicada em 1995 pela Dark Horse, nos EUA. Aqui no Brasil foi lançada encadernada pela Devir em 2009. 

– A animação é de 1999 e teve 26 episódios, que aqui foram exibidos pela Globo, e alguns estão disponíveis lá no Crackle.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s